O consumo da energia elétrica nas casas portuguesas é uma preocupação constante para as famílias, uma vez que pode representar uma fatia significativa do orçamento mensal. Verdade?

Para otimizar este gasto, é fundamental compreender qual o consumo médio de kWh de uma família de 4 pessoas. Por isso, vamos explorar os fatores que mais influenciam o consumo das casas portuguesas e dar-lhe algumas dicas valiosas para conseguir baixar o consumo ao final do mês. Pronto para começar a poupar na fatura da luz? 😃

Consumo médio de energia de uma família: qual é?

O consumo médio de kWh de uma família de 4 pessoas pode variar. Existem diferentes fatores que podem influenciar, como o tamanho da casa e a sua localização, hábitos de consumo ou eficiência energética dos eletrodomésticos utilizados, por exemplo.

Mas, segundo a PORDATA, uma base de dados com estatísticas oficiais sobre Portugal, o consumo médio de um agregado familiar com 4 pessoas é de cerca de 453 kWh por mês.

Atenção, que os dados mais recentes publicados em 2023 são referentes a 2021.

Se consultar a secção de ‘consumo de energia elétrica per capita: total e por tipo de consumo’, vai conseguir perceber que o consumo médio anual, por pessoa, em ambiente doméstico é de 1360 kWh.

Partindo deste número, é fácil chegar ao consumo médio de kWh por mês, de um agregado familiar com 4 elementos. Para isso, basta dividir os 1360 kWh pelos 12 meses do ano. Depois, multiplica o resultado por 4 e chega ao consumo médio de uma família portuguesa, por mês.

Claro que isto é apenas uma estimativa. Como, entretanto, o panorama nacional da energia se alterou, tanto os hábitos de consumo como o preço da própria energia, é natural que os valores possam estar ligeiramente diferentes. No entanto, estes são os últimos dados oficiais e já consegue ter uma visão aproximada da realidade de um agregado familiar com 4 pessoas, em Portugal. 👪

Em que é que gasta mais energia?

Para conseguir otimizar o consumo de energia elétrica lá em casa, é essencial perceber, primeiro, quais os principais hábitos que fazem disparar a fatura da luz no final do mês. Já tem ideia de alguns? Então, tome nota dos responsáveis pelo aumento do consumo. 👇

Ar condicionado e aquecedores

O uso frequente de ar condicionado e aquecedores, especialmente em regiões com temperaturas extremas, pode aumentar o consumo de energia substancialmente.

Normalmente, o verão e o inverno são as estações do ano que mais fazem disparar os valores das faturas da luz, não fossem elas conhecidas pelas temperaturas que desafiam o conforto dos portugueses.

Aparelhos eletrónicos em modo de espera

São muitos os que ainda subestimam o consumo de energia em standby de televisores, computadores ou carregadores de telemóvel, por exemplo. Desligar completamente estes dispositivos ou utilizar tomadas inteligentes pode ajudar a reduzir a utilização de energia desnecessária. Ora experimente. 😉

Iluminação

A iluminação rouba uma parte importante do consumo de energia de uma casa. Por isso, optar por lâmpadas LED ou fluorescentes, em vez das tradicionais lâmpadas incandescentes, pode fazer uma grande diferença no final de cada mês. Sabia que as lâmpadas LED consomem menos energia e têm um tempo de vida útil mais longo?

Aquecimento de água

O aquecimento de água para atividades como o banho e a lavagem da louça e roupa são outras das responsáveis pelo alto consumo de energia. Se utilizar chuveiros elétricos com uma potência adequada, regular a temperatura do aquecedor e considerar até o uso de aquecimento solar, podem ser alternativas muito úteis para poupar energia.

Eletrodomésticos

Máquinas de lavar roupa, televisões e frigoríficos, por exemplo, são alguns dos equipamentos que mais consomem energia numa casa. Por isso, a escolha de eletrodomésticos com uma etiqueta energética alta (A++) é um passo importante e que pode fazer uma enorme diferença na fatura de luz.

5 dicas para otimizar o consumo médio de kWh de uma família

Se quer reduzir o valor que paga mensalmente na fatura da luz, aqui estão alguns conselhos valiosos que vão ajudar a otimizar o consumo médio de kWh lá em casa.

Dica 1: Consciencialização

O primeiro passo, e o mais importante talvez, é fazer com que todos os membros da família tenham consciência sobre o consumo energético. O objetivo é que se promova um consumo mais responsável, do qual fazem parte a utilização regrada de equipamentos eletrónicos ou a necessidade de os desligar por completo quando não estão a ser usados, por exemplo.

Dica 2: Avaliar os gastos

Identifique todos os equipamentos que estão a consumir energia lá em casa e quais são as divisões onde isso mais acontece. Depois de perceber a sua realidade, vai ser mais fácil ajustar as suas rotinas e começar a fazer pequenos esforços para mudar os seus hábitos de consumo, quer seja a trabalhar em casa ou a preparar o jantar ao final do dia.

Dica 3: Aproveitar a luz natural

Não há nada mais simples e eficaz para poupar energia do que aproveitar um recurso natural: o sol. Durante o dia, aproveite a luz natural para iluminar ao máximo as suas tarefas, para não ter necessidade de usar luz artificial e, como consequência, consumir mais energia.

Dica 4: Apostar nas energias renováveis

Se ainda não o fez, então talvez esteja na hora de considerar investir em energias renováveis, como a instalação de painéis solares, por exemplo. Sabia que pode poupar 40% no valor da fatura ao produzir a sua própria energia?

Se tiver curiosidade em saber mais sobre o tema, a Goldenergy pode ajudar. Fale connosco!

Dica 5: Eficiência energética

Investir em eletrodomésticos e equipamentos mais eficientes pode baixar significativamente o consumo de energia mensal.

Sempre que possível, opte por eletrodomésticos com alta eficiência energética. Verifique a etiqueta energética antes de tomar uma decisão. E já sabe, escolha aqueles com classificação A ou superior. Pode ser mais dispendioso no início, mas a longo prazo compensa o investimento. 😉