Goldenergy,

Na cozinha com a Gold: vitrocerâmica vs indução, o que é melhor?

Índice

Quando falamos de dar as melhores dicas para tornar mais simples a sua vida aí em casa, a Goldenergy está sempre pronta a ajudar. Hoje o tema é: vitrocerâmica vs indução, qual é a melhor placa para ter na sua cozinha? Vamos descobrir. 😉

Respondemos, por cá, às suas perguntas essenciais e ajudamos a criar um espaço funcional para que preparar os cozinhados da família seja uma tarefa desempenhada de forma mais eficiente.

Diferenças entre vitrocerâmica vs indução

Preciso de renovar a cozinha e estou a pensar comprar uma placa de vitrocerâmica ou de indução. Mas qual será a melhor escolha para o meu caso?

Se esta é uma pergunta que tem feito, este artigo é para si. Entenda as principais diferenças entre um fogão de indução e a vitrocerâmica: saiba como funcionam e o que esperar delas em termos de segurança, qual delas é a compra mais económica e qual é a que consome menos energia.

Funcionamento de vitrocerâmica vs indução

Vejamos, em resumo, como funcionam os dois tipos de placas que pode escolher para a sua cozinha.

Tipo de energia: Antes de tomar uma decisão, importa conhecer o tipo de energia que pretende ou que pode utilizar – gás ou eletricidade. Lembre-se que as placas de indução e de vitrocerâmica funcionam à base de energia elétrica.

Produção de calor: as placas de indução são mais eficientes a produzir calor, porque funcionam através de ondas magnéticas que vão aquecer apenas a panela utilizada e não a placa – ou seja, não há desperdício de calor. Por sua vez, as placas de cerâmica funcionam com base numa resistência elétrica e são aquecidas durante a utilização.

Velocidade e controlo: tempo de cozedura de vitrocerâmica vs indução

Tanto a placa de vitrocerâmica como a de indução são mais vantajosas neste sentido, face aos fogões tradicionais – com os bicos de gás. As duas opções, mais modernas, possuem controlos digitais que tornam possível regular, de forma verdadeiramente mais eficaz, o calor que deseja produzir.

A diferença entre os dois tipos, nesta questão, é que a placa de vitrocerâmica demora um bocadinho mais a aquecer e desperdiça calor enquanto faz a transferência entre a base e a panela.

Já a placa de indução aquece os utensílios de forma instantânea – assim, sem perdas de calor, o tempo de confeção das refeições é reduzido.

Segurança

Este é o ponto de diferença mais marcante entre as placas de vitrocerâmica e de indução. E é fácil de perceber porquê. Basta imaginarmos que, mesmo após desligadas, as placas de vitrocerâmica permanecem aquecidas durante um determinado tempo – o que favorece a possibilidade de acidentes domésticos com o fogão.

Uma dica para os evitar e, claro, também para poupar energia, é desligar a placa alguns minutos antes do final da confeção. Assim, enquanto aproveita o calor para concluir os seus cozinhados, a placa já está a arrefecer.

De recordar que já existem no mercado placas de vitrocerâmica preparadas para indicar quais zonas estão quentes, mesmo depois de desligadas. Isto ajuda o utilizador a não se esquecer e a evitar possíveis queimaduras.

Ainda assim, as placas de indução são as opções mais seguras, porque para além de não aquecerem a placa, a mesma desliga-se de forma automática quando ocorre um derrame acidental de líquido ou quando está sobreaquecida. Também se desliga, de igual forma, se detetar que já passou algum tempo desde que foi ligada.

Utensílios de cozinha

Neste ponto, não restam dúvidas de que as vantagens recaem sobre as placas de vitrocerâmica – uma vez que suportam todo e qualquer tipo de utensílio que pudesse ser utilizado num fogão a gás. Assim, pode reaproveitar os seus tachos e panelas, sem qualquer necessidade de investimento extra em utensílios novos. As placas de indução, por sua vez, exigem materiais específicos – como o ferro fundido ou o aço esmaltado (em alguns casos é possível utilizar aço inoxidável). Não deverão ser usados recipientes de cobre, barro, cerâmica, vidro ou alumínio.

Preço da vitrocerâmica vs indução

O preço é sempre aquele fator que devemos ter em conta quando vamos fazer um investimento. Mas o preço deve ser balanceado com as necessidades de cada utilizador.

Por exemplo, quem pretende ter mais segurança e poupar alguma energia, deve saber que a placa de indução é a melhor escolha – porém, é a mais cara.

Se não quer fazer um investimento acrescido por esta razão, então escolha uma placa de vitrocerâmica e estará bem servido. 😉

Limpeza de vitrocerâmica vs fogões de indução

As duas opções pedem cuidados de limpeza após todas as utilizações.

Depois de arrefecerem, limpe-as com um pano húmido e use um raspador específico para remover aqueles restos de comida que ficam agarrados à placa. Não use esponjas da loiça, palha de aço, nem produtos abrasivos. Escolha produtos indicados para estas limpezas.

Atenção especial às placas de vitrocerâmica, que correm mais riscos de ficarem com riscos visíveis.

Vantagens e desvantagens no consumo de vitrocerâmica vs fogões de indução

Vantagens e desvantagens das placas de vitrocerâmica

  • São mais baratas, face às de indução.
  • É compatível com um maior número de materiais e recipientes (suporta o ferro, o barro, o alumínio, etc.)
  • Conservam calor residual e é possível dar continuidade aos cozinhados mesmo depois de desligadas.
  • Levam mais tempo para aquecer e para arrefecer.
  • Regra feral, consomem mais eletricidade.
  • Devem ser limpas com especial cuidado, para que não fiquem riscadas.

Vantagens e desvantagens das placas de indução

  • Precisam de menos tempo para aquecer.
  • Consomem menos energia.
  • São opções mais seguras contra acidentes domésticos.
  • São mais simples de limpar
  • Também são programáveis, como as de vitrocerâmica.
  • O investimento financeiro é maior.
  • Pedem utensílios de cozinha compatíveis.

Cozinha 100% elétrica e eficiente

Se a sua cozinha ainda trabalha com um fogão antigo, a gás, com bicos difíceis de limpar e um consumo menos eficiente, e está na altura de fazer a troca… Talvez seja o momento ideal de planear um espaço 100% elétrico, que combina aparelhos e consumo de energia renovável.

Para isso, deve escolher equipamentos mais eficientes (olhos postos na etiqueta energética) e optar pelo consumo de energia 100% verde, como aquela que vendemos na Goldenergy. 😀 Para tornar tudo ainda melhor, pondere uma solução de autoconsumo de energia – como os painéis solares, que pode pagar em mensalidades se for nosso cliente.

Assim, com os painéis e equipamentos adequados à eficiência e à transição energética, poderá produzir a energia que vai utilizar numa cozinha sustentável, com aparelhos de menor consumo, e pagar menos pelas suas faturas de eletricidade.

A energia verde, de origem renovável, é o futuro de todos. Por isso, se está a pensar transformar a sua cozinha, deve ter em consideração o planeamento de um espaço preparado para ser eficiente.

Fale connosco para encontrar as suas soluções de energia verde e de painéis solares, adequadas às suas necessidades. Trabalhar pela eficiência energética de todos é uma das nossas principais missões. 😉

E se ainda não o fez, mude para a Goldenergy e comece a poupar enquanto consome energia de forma mais inteligente. O planeta agradece e a sua carteira também. 😀

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Quer aderir? Nós ligamos, grátis.

Deixe os seus dados para entrarmos em contacto consigo.

Poupe em casa e cuide do planeta escolhendo energia 100% verde.

Quer receber primeiro uma proposta? Simule e veja quanto vai poupar.

Artigos recentes

Conduz ou quer conduzir um elétrico? Já pesquisou sobre apoios do Estado, vantagens da condução, benefícios para o meio ambiente...
O Regulamento da Mobilidade Elétrica em Portugal (RME), publicado e vigente desde 2015, pela Entidade Reguladora de Serviços Energéticos (ERSE),...
Neste artigo a Goldenergy explica-lhe o que é e como funciona o kit de bombeamento de água com energia solar....

Mais lidos

Se ainda não é nosso cliente, agora vai querer ser. Conheça o nosso programa Campanha Amigo e saiba como ganhar...
Nos períodos de confinamento a recolha da leitura pelo técnico pode estar condicionada e é importante comunicar o consumo para...
Durante o mês de Novembro de 2020 o setor da energia assistiu a mais um importante passo na agilização de...