Biomassa em Portugal: tudo sobre esta energia verde
Goldenergy,

Biomassa em Portugal: tudo sobre esta energia verde

Tabela de conteúdos

Já alguma vez ouviu falar em biomassa? Talvez até já tenha comprado alguns sacos de biomassa de banana-verde numa loja de produtos naturais. Certo, está a fazer escolhas saudáveis. Mas vamos falar de outra biomassa, que também é obtida a partir de elementos naturais, mas que não nos serve de alimento.

O que é a energia da biomassa?

Falamos da biomassa de energia. Sabia que os resíduos vegetais, como as cascas de arroz e até o bagaço da cana-de-açúcar, podem ser utilizados como fontes de energia verde? Sobretudo nas centrais termoelétricas, esses resíduos são muito utilizados, uma vez que são abundantes, baratos e (claro) amigos do ambiente! 🙂

Num momento em que o mundo dá cada vez mais atenção à sustentabilidade, é sempre bom conhecer novas fontes de eletricidade que não poluam o ambiente, mas que nos ajudem a conservá-lo.

A biomassa pode ser considerada uma dessas fontes, já que é renovável. Ou seja, a natureza consegue repô-la tão ou mais rapidamente do que a consumimos. De facto, quase todas as matérias orgânicas de origem vegetal ou animal podem ser consideradas biomassa de energia.

Essa variedade permite que os tipos de biomassa utilizados em cada país sejam bastante diferentes, de acordo com a sua vegetação local.

Por exemplo, a biomassa utilizada em Portugal pode ser muito diferente da produzida pelos países africanos ou por outros países do hemisfério sul.

Neste artigo, vamos ficar a saber mais sobre os tipos de biomassa em Portugal, além de explicar a sua relevância no cenário energético nacional.

De mencionar também as vantagens e desvantagens da biomassa que, como qualquer outra fonte de energia, tem os seus prós e contras.

(A propósito, esteja à vontade para degustar a sua biomassa de banana-verde enquanto lê o artigo. ???? )

Tipos de biomassa: quais são?

Quando pesquisamos a definição de “biomassa”, o Dicionário Priberam mostra-nos o seguinte resultado:

“Massa total dos seres vivos que subsistem em equilíbrio numa dada superfície de solo ou num dado volume de água oceânica.”

No entanto, quando falamos da biomassa de energia, referimo-nos à massa de seres vivos (sejam vegetais ou animais) utilizada para a produção de energia.

Nesse caso, falamos mais especificamente da produção de energia elétrica. Segundo a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), existem diversos tipos de biomassa utilizados para essa finalidade. Ora, vejamos:

  • Resíduos: incluindo os resíduos florestais e das indústrias que atuam na fileira florestal. Este é o tipo mais utilizado em Portugal.
  • Resíduos agrícolas e das indústrias agroalimentares: como o bagaço da cana-de-açúcar e as cascas de arroz, citados anteriormente.
  • Excrementos de animais: como as fezes da vaca, provenientes das explorações pecuárias.
  • Fração orgânica dos resíduos sólidos urbanos: o lixo orgânico como fonte de eletricidade.
  • Culturas energéticas: ou seja, produtos agrícolas que apresentam um alto potencial energético.
  • Esgotos urbanos.

Mas sabe qual será o tipo de biomassa mais utilizado em Portugal? E como são produzidas as biomassas utilizadas por cá?

Como é produzida a biomassa em Portugal?

Como referido anteriormente, a biomassa provém de origem vegetal e/ou animal sendo, portanto, obtida a partir de fontes diferentes, a depender da região de consumo.

Em Portugal, utiliza-se sobretudo a biomassa florestal, ou seja, obtida a partir de resíduos florestais. Esses resíduos têm origem nas indústrias de produção de pasta de papel, painéis, aglomerados e resíduos de madeira (briquetes e pellets).

O processo de aproveitamento do potencial elétrico dessa biomassa ocorre sobretudo dentro das centrais termoelétricas. Estas são instalações industriais que geram eletricidade a partir da energia libertada por qualquer produto que gere calor. Como a biomassa, claro!

Assim funciona a produção de eletricidade por uma central termoelétrica:

  • a combustão da fonte de calor aquece uma caldeira com água;
  • esta gera vapor de água em alta pressão;
  • de seguida, esse vapor move as pás da turbina do gerador;
  • este, por sua vez, converte a energia térmica em eletricidade.

Em Portugal, existem oito projetos de reforços de centrais de biomassa licenciados, em Famalicão, Fundão, Viseu e Porto de Mós. Em 2017, no entanto, o governo aprovou a criação de quatro novas centrais elétricas de biomassa florestal, situadas nos concelhos de Vila Velha de Rodão, Mangualde, Figueira da Foz e Famalicão.

Vantagens e desvantagens do uso da biomassa em Portugal (e no mundo)

Assim como qualquer fonte de energia, a biomassa apresenta vantagens e desvantagens, tanto a nível económico como ambiental.
Afinal, quando falamos em fontes de energia, há diversos fatores que devem ser analisados antes de classificarmos uma certa fonte como boa ou má.

Se, por um lado, a biomassa permite-nos conservar alguns componentes do ecossistema em que é obtida, por outro pode haver ameaças a outros componentes essenciais para a saúde humana, vegetal e animal.

Listamos abaixo as principais vantagens e desvantagens da biomassa enquanto fonte de energia.

3 vantagens da biomassa

1. Alternativa aos combustíveis fósseis

A biomassa pode substituir em grande parte o uso do petróleo e do carvão, por exemplo. Estes combustíveis fósseis são considerados recursos não renováveis. Por isso, não poderão satisfazer para sempre as nossas necessidades energéticas.

Ou seja, o alerta vermelho está aí e não o podemos ignorar. É preciso descobrir novas fontes de energia que não consumam recursos limitados do planeta, como a biomassa.

2. Pouco impacto sobre o efeito de estufa

É um facto que os gases libertados pelos combustíveis de origem fóssil, como a gasolina e o gasóleo, contribuem para o agravamento do efeito de estufa.

Quando nos referimos a esse fenómeno, falamos de diversos impactos ambientais: aumento da temperatura global, degelo das calotas polares, ameaça de espécies animais… Uma lista enorme de problemas.

De facto, os gases poluentes libertados na combustão da biomassa têm um impacto muito menor sobre o efeito de estufa quando comparados às emissões desses combustíveis fósseis.

3. Baixo custo de aquisição

O uso da biomassa tem-se tornado cada vez mais comum nas centrais termoelétricas, a fim de gerar eletricidade. Afinal, trata-se de uma fonte de energia com baixo custo de aquisição, sendo, portanto, mais viável a nível económico.

4 desvantagens da Biomassa

1. Eficiência reduzida

Ao compararmos a biomassa com outras fontes de energia, como o petróleo e a energia eólica, percebemos que a sua eficiência é reduzida.

Isso pode representar uma grande desvantagem económica, sobretudo se consideramos os custos de funcionamento de uma central termoelétrica.

2. Custo elevado dos equipamentos

Se, por um lado, a aquisição das biomassas pode ser bastante barata, por outro, os equipamentos utilizados na sua obtenção podem ser bastante caros. Sem falar nos custos de manutenção dos mesmos, que deve ser feita regularmente.

3. Libertação de gases tóxicos

É um facto que a biomassa não é um combustível fóssil e que, portanto, não emite as mesmas quantidades de gases com efeito de estufa.

No entanto, a combustão da biomassa pode emitir outros gases tóxicos, além de materiais particulados, que podem causar sérios problemas respiratórios a quem os inala.

4. Riscos de desmatamento

Para a obtenção de determinados tipos de biomassa, como o bagaço da cana-de-açúcar, é necessário que vastas áreas se destinem exclusivamente a plantações.

Ou seja, a floresta local é removida a fim de se plantar a matéria necessária para a obtenção da biomassa em questão. A longo prazo, esse desmatamento pode ter impacto no solo e no ecossistema, de forma geral.

Convém mencionar, no entanto, que em Portugal a obtenção da biomassa não contribui para o desmatamento. Pelo menos não da mesma forma que o uso das cascas de arroz e da cana-de-açúcar, por exemplo.

Isso porque são utilizados, sobretudo, os resíduos vegetais e florestais e, assim, a obtenção dessas fontes de energia não tem um impacto significativo sobre a natureza.

Facto é que o uso de biomassa em Portugal é um tema bastante controverso, dadas as vantagens e as desvantagens da biomassa a nível económico e ambiental. No entanto, é também verdade que Portugal investe cada vez mais em fontes de energia renováveis, a pensar na autonomia energética do país e na conservação da natureza.

Como consumidores, devemos dar prioridade ao uso de eletricidade proveniente de fontes renováveis, como a biomassa de energia. Assim estamos a contribuir para um quotidiano mais sustentável.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Quer aderir? Nós ligamos, grátis.

Deixe os seus dados para entrarmos em contacto consigo.

Poupe em casa e cuide do planeta escolhendo energia 100% verde.

Quer receber primeiro uma proposta? Simule e veja quanto vai poupar.

Artigos recentes

Mude para a Goldenergy para perceber porque é que somos a comercializadora de eleição de centenas de milhares de portugueses....
Neste artigo, vamos falar sobre a tarifa tri-horária, aquela que divide o seu consumo de eletricidade em três tarifas, mais...
Já alguma vez analisou o seu tarifário de eletricidade? Será a tarifa bi-horária a mais acertada para si? Está a...

Mais lidos

Se ainda não é nosso cliente, agora vai querer ser. Conheça o nosso programa Member Get Member e saiba como...
Nos períodos de confinamento a recolha da leitura pelo técnico pode estar condicionada e é importante comunicar o consumo para...
Durante o mês de Novembro de 2020 o setor da energia assistiu a mais um importante passo na agilização de...